Página Inicial > Apple Magazine > iKeynotes: usando o iPad e o iPhone na sala de aula

iKeynotes: usando o iPad e o iPhone na sala de aula



por Agnaldo S. Martins, do depto. de Oceanografia e Ecologia da UFES

Este artigo apresenta dicas de como explorar ao máximo o potencial de iGadgets para apresentações, podendo ser útil para alunos, professores e profissionais que usam frequentemente esse recurso e estão sempre em movimento. Ele é baseado em dez meses de experiências aplicadas ao meu cotidiano de professor universitário que se aventurou a usar “na marra” as novas tecnologias disponíveis mesmo estas não estando 100% maduras, como é o caso de apresentações com uso de computadores tradicionais.

iPad 2 conectado a uma TV via HDMI

A vantagem de se utilizar o iPad ou iPhone/iPod touch como plataforma de apresentações é bastante óbvia: portabilidade e simplicidade. Esses iGadgets pesam de metade a um décimo da maioria dos notebooks e têm baterias incomparavelmente mais duráveis. Como normalmente uma jornada de aulas não dura mais do que algumas horas, é quase sempre possível levar sem medo o device sem o carregador, o que por si só já é um peso e um cabo a menos para conectar, entre os vários necessários para uma apresentação.

No entanto, daí para frente existe uma série de pequenas desvantagens para quem faz apresentações com notebooks, e aí vão as dicas para cada um avaliar se esse ganho todo de portabilidade compensa.

Preparando as apresentações que serão usadas no iGadget

Se a apresentação for preparada no próprio dispositivo, recomenda-se obviamente que seja no iPad — pois a tela grande faz uma enorme diferença — e no aplicativo Keynote. Existem várias outras opções de aplicativos disponíveis, dentre as quais o pacote Quickoffice é o mais conhecido, mas nenhum deles é tão fácil, intuitivo e munido de recursos bacanas como o da Apple. Porém, não espere que ele consiga suprir todas as suas necessidades. A maior dificuldade está em inserir figuras e filmes. Para isso, tem que se recorrer ao álbum de fotos. Se a sua figura está na internet ou em algum arquivo de outro aplicativo, o macete é bater uma foto da tela pressionando simultaenamente os botões Home e Sleep/Wake. Para filmes, não tem jeito a não ser importar antes para o álbum.

Se a apresentação for feita no computador, as opções são também muito variadas, mas novamente recomendo o Keynote que é reconhecidamente e de longe o melhor aplicativo da categoria no mercado. Nesse caso, há o trabalho de transferir/exportar para o iGadget.

Para quem usa o iCloud e o Keynote, tudo ocorrerá automagicamente, mas isso não é garantia de que vai chegar ao destino 100% igual. Isso porque nem todas as fontes presentes no computador existem no iPad, bem como animações e vídeos utilizados podem não ser compatíveis. Procure usar fontes que já existem no aplicativo da tablet e converta todos os vídeos para o formato MP4. Se a apresentação vem de outro aplicativo, como o PowerPoint, provavelmente outras incompatibilidades podem ocorrer, mas o Keynote para iOS importa sem problemas e muito bem.

Usando a melhor configuração de hardware e apresentador

A configuração mais simples e óbvia é plugar o conector VGA/HDMI no iGadget e este no projetor ou TV a ser usada na apresentação. Embora satisfatório, esse esquema obriga o apresentador a estar próximo do iGadget toda a vez que for avançar slides ou executar outra ação, porque ele está preso por cabos ao sistema de projeção.

A solução para isso seria usar um segundo iGadget como controle remoto. Isso é possível com o aplicativo Remote da Apple, para quem for utilizar o Keynote como apresentador, ou o aplicativo 2ScrRemote, para quem for utilizar o 2Screens-Presentation Expert como apresentador. Este último é um aplicativo muito interessante, pois apresenta arquivos PowerPoint, Keynote, PDFs e tem integrado um quadro virtual para anotações e navegador, além de muitas outras facilidades. Ele é compatível com a tecnologia Airplay (assim como a versão mais recente do Keynote), o que significa que você pode apresentar diretamente do iGadget com ele, desde que tenha um Apple TV conectado ao seu sistema de projeção ou tenha instalado o aplicativo AirServer (disponível somente na Cydia Store, ou seja, para aparelhos com jailbreak), sendo nesse caso possível utilizar um iGadget para esse papel de intermediário entre o apresentador e o sistema de projeção.

· · ·

Considerando-se os prós (portabilidade, simplicidade) e contras (baixa compatibilidade e opções de apresentação remota), minha avaliação do uso de iGadgets em sala de aula tem sido muito positiva, ainda mais considerando que uso o iPad de primeira geração como plataforma de apresentações (mais lento e limitado de memória); a evolução de hardware e software também promete ser rápida, reduzindo muito as limitações hoje existentes. Então, para mim, usar a dupla iPad+iPhone em sala de aula ou apresentações de trabalho é um caminho sem volta — uma verdadeira revolução na maneira de aliar ensino a alta tecnologia.


MacMagazine

Incoming search terms:

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. Nenhum trackback ainda.