Arquivo

Textos com Etiquetas ‘músicas’

Last.fm encerra serviço de assinatura para streaming de músicas

31, março, 2014 Sem comentários

Empresa quer focar seus esforços em recursos como recomendações de músicas para os usuários.








IDG Now! – Internet

Claro libera músicas gratuitas por meio de sua loja virtual Ideiasmusik

13, dezembro, 2013 Sem comentários

Serviço de música online também está disponível para usuários Windows Phone e para não-clientes da operadora.








IDG Now! – Internet

Deezer chega ao Windows 8 e oferece acesso gratuito a músicas

17, abril, 2013 Sem comentários

Com apps para iOs, Android e Blackberry, a empresa lançou nova versão do seu aplicativo de streaming com acesso a 20 milhões de músicas




IDG Now! – Internet

Mais detalhes sobre o suposto serviço de streaming de músicas da Apple

9, setembro, 2012 Sem comentários



Nesta semana, o WSJ.com afirmou que a Apple está negociando com gravadoras e poderá lançar, em breve, um novo serviço gratuito de streaming de músicas. Mas ficou por isso, sem apresentar mais detalhes sobre como seria o funcionamento dele. Contudo, o NYTimes.com também disse que a Maçã pretende oferecer essa espécie de “rádio online”, trazendo novas informações.

Rádio antigo

Segundo eles, o serviço virá na forma de um app nativo do iOS, se conectando à conta do usuário e aprendendo seus gostos, oferecendo playlists personalizadas. Inicialmente as licenças seriam um pouco limitadas — por exemplo, restringindo o número de vezes que as músicas de um determinado artista poderiam tocar no período de uma hora. Todavia, a firma de Cupertino está buscando licenças diretas com as gravadoras justamente para ganhar mais flexibilidade.

Como já falamos, o serviço seria gratuito, baseado em publicidade (iAds). Não está claro se a empresa vai dividir as receitas com as gravadoras ou se irá pagar uma taxa para licenciar as músicas diretamente. Apesar de ser gratuito, não está claro se a Apple oferecerá também uma opção paga — o Pandora, por exemplo, conta com essa opção. Ainda de acordo com eles, não devemos esperar algo relacionado a isso no evento da semana que vem, já que tudo ainda está sendo negociado.

Alguns analistas não gostaram muito da notícia, afirmando que este (“rádios online”) é um mercado muito pequeno para a Apple, e que Pandora, iHeartRadio e Last.fm já fazem um bom trabalho. Particularmente, não sei também se esta é a melhor estratégia, mas a verdade é que muitas pessoas estão deixando de comprar não só músicas, mas episódios de séries e filmes, trocando por algum serviços como Spotify e Hulu, os quais são baseados em assinaturas e dão acesso a um vasto conteúdo.

Em abril eu escrevi um artigo falando justamente sobre isso, torcendo para a Apple ampliar seu ecossistema, lançando serviços de assinaturas na iTunes Store. Este rumor de agora não é exatamente o que eu imaginava, mas se for quente, não deixa de ser uma tentativa da Maçã de “sair” do modelo que ela vem utilizando desde 2003, quando lançou a iTunes Store.

[via Ars Technica]




MacMagazine

Incoming search terms:

Rumor: Apple está negociando com gravadoras um serviço gratuito de streaming de músicas

6, setembro, 2012 Sem comentários



O WSJ.com acaba de informar que a Apple pretende lançar um novo serviço de músicas baseado em streaming. Nele, usuários poderão escurar rádios online de artistas — algo parecido com o Pandora —, seja em iPads, iPhones/iPods touch, Macs ou PCs com Windows.

Recurso rádio do iPod nano

Segundo o jornal, a firma de Cupertino começou a negociar pra valer com gravadoras, e pode ser apenas questão de tempo (meses) até que tudo esteja pronto. O serviço seria gratuito, sustentado por anúncios — o que não é muito a cara da Apple. Contudo, como a empresa hoje tem uma plataforma de publicidade, é natural que ela queira ampliar o alcance dos iAds.

Vale ressaltar que, como tudo ainda está sendo negociado, é muito pouco provável vermos algo sendo comentado pelos executivos da empresa no evento da semana que vem, no qual se espera que a linha iPod seja renovada.

[via MacRumors]




MacMagazine

Usuário é condenado a pagar US$ 675 mil por compartilhar músicas

30, agosto, 2012 Sem comentários

Joel Tenenbaum foi penalizado por baixar e distribuir ilegalmente músicas por meio da rede P2P Kazaa




IDG Now! – Internet

As limitações “legais” da distribuição de conteúdo (filmes, livros, músicas, …) digital

30, agosto, 2012 Sem comentários



Há pouco tempo estava conversando com a minha mãe sobre os preços de livros digitais da iBookstore e ela lembrou que, no caso de livros impressos, a pessoa pode passar a obra pra um amigo, emprestar ou mesmo doar o livro pra uma escola/biblioteca.

A gente sempre pondera questões de praticidade, impressão, distribuição, espaço… Mas acaba esquecendo de pôr na balança esses detalhes nem tão pequenos.

Uma discussão recente questiona um assunto curioso: se o direito de usar/consumir um conteúdo digital — seja filme, livro, música, gibi, jogo ou qualquer tipo de software — é dito intransferível por grandes lojas (como App Store, Amazon, Steam, etc.), como uma pessoa deixaria seu patrimônio digital como herança?

Imagina um cara com uma coleção de centenas de álbuns ou dezenas de filmes. “Deixo, em meu testamento, todo o meu conteúdo digital acumulado. Filho, segue meu usuário e senha da App Store brasileira e também da argentina.”

Não precisa nem ser no caso de heranças, mas também é bem comum uma pessoa doar sua coleção a algum tipo de instituição. E digo mais: e em caso de divórcio? Hehe!

Valve SteamEm julho deste ano, a corte europeia determinou que consumidores têm o direito de revender licenças de softwares. Curioso que muitos relataram a notícia focando apenas em jogos (no caso do Steam e outras lojas online), mas a lei engloba qualquer tipo de programa, de um Photoshop aos aplicativos de US da App Store.

O autor de um software não pode impedir a revenda de licenças “usadas” permitindo o uso de seus programas baixados da internet. […] Portanto, mesmo se o contrato de licença proibir uma futura transferência, o detentor dos direitos não pode mais se opor à revenda da cópia.

A decisão é bem recente, então as lojas ainda não se posicionaram a como reagir nestes casos, pois precisam estar preparadas para essa troca de licenças — seja por números de série, redeem codes ou até mesmo transferindo de um usuário para outro dentro de uma loja como a App Store. Imagina o mercado paralelo que isso pode gerar, a exemplo de grandes lojas dedicadas exclusivamente à venda de jogos usados por preços menores.

Hoje em dia, pelo menos fora da Europa, você pode revender a caixinha do seu jogo com um disco dentro, mas não pode vender o que comprou pela Xbox LIVE, pela PSN, pelo Steam, muito menos com as DLCs vendidas separadamente. Por quê?

Tudo isso faz parte do cenário em que a gente vive: não é tão simples adaptar as nossas leis para a internet e toda a tecnologia digital, que vem mudando nosso comportamento de compra a passos largos. A coisa fica ainda mais difícil quando a gente pensa nas barreiras legais — “burrocracia”, sabe? — entre países e cai em casos como o desencontro de gravadoras pelo mundo, a tal aprovação de jogos aqui do Brasil, e por aí vai.

Até a língua é uma barreira: quando eu quero ler um livro em inglês — na minha opinião, uma das melhores maneiras de treinar outro idioma —, não posso comprar com minha conta brasileira na iBookstore, mas posso comprar pela Amazon, por uma livraria de fora, ou usar uma conta gringa pra ter a opção de outro idioma. Por quê? Não sei. O arquivo está lá, era só liberar.

Parece reclamação boba, mas aí nos deparamos com uma situação dessas de herança e percebemos que nunca pensamos por essa perspectiva, provavelmente porque ainda nem deu tempo de ramificar as possibilidades que a distribuição digital pode trazer. E, por favor, em nenhum momento pensem que eu sou contra este cenário. Pelo contrário: apesar de adorar uma caixinha de Blu-ray na prateleira, a palavra “praticidade” me ganha de imediato. É rezar pra Santo Woz proteger nossa nuvem de cada dia.

Num futuro nem tão distante, a nossa geração quer deixar a coleção de conteúdo digital — que só tende a aumentar — para os filhos e, de quebra, pagar cafezinho com PayPal. Pode? ;-)




MacMagazine

↪ Apple seleciona jogo, apps e músicas oficiais dos Jogos Olímpicos 2012 na iTunes Store

19, julho, 2012 Sem comentários



Londres 2012

Com a Cerimônia de Abertura se aproximando, o palco está montado para um mês de esporte incrível. Celebre os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos com apps e músicas oficiais.

Estão lá o jogo oficial — já destacado por nós aqui no site —, apps e músicas selecionados pela Apple para quem é fã de esporte e não quer perder um detalhe dos Jogos Olímpicos 2012. Com a aproximação do evento, que acontecerá entre 27 de julho e 12 de agosto, mais conteúdo será disponibilizado na página, então é bom ficar ligado. ;-) [iTunes Store]




MacMagazine

Audio Xciter, da Aphex, promete uma experiência única ao ouvir músicas em iPhones/iPods touch

11, julho, 2012 Sem comentários



Será que um software pode melhorar tanto assim a qualidade de áudio emitido pelos seus fones ouvido ou caixas acústicas? É o que promete a Aphex, com o Audio Xciter.

Ícone - Aphex Audio Xciter

Compatível com iPhones/iPods touch, o app aprimora a qualidade áudio dinamicamente usando um processador de sinais digitais (DSP) proprietário da empresa — oferecendo uma experiência de nível profissional, segundo eles.

Eis um vídeo promocional:

Neste outro, algumas “reações” de quem o experimentou:

Em promoção de lançamento, o Audio Xciter está saindo de graça na App Store (com 15 minutos de áudio aprimorado por dia, podendo ser liberado via In App Purchase), enquanto sua versão Studio (com ajustes mais finos/avançados) custa US. Ambas pesam 5,1MB e requerem o iOS 5.0 ou superior.

[dica do Peter Shaws]




MacMagazine

Incoming search terms:

↪ Apple promove na iTunes Store brasileira “As Melhores Músicas e Filmes dos Anos 80”

10, julho, 2012 Sem comentários



Melhores músicas e filmes dos anos 80

Está em destaque na loja brasileira uma nova página especial de promoção com “As Melhores Músicas e Filmes dos Anos 80”, trazendo diversos itens com preços muito bacanas — em média US cada. Vale a pena dar uma passada por lá e ver o que a Apple selecionou, desta vez. [iTunes Store]




MacMagazine